Indústria de papel prevê investimentos e reajustes em 2014

A realização da Copa do Mundo, as eleições e a expectativa de novos investimentos e reajustes de preços prometem agitar o 2014 da indústria nacional de papéis. Embora a expectativa mais positiva esteja associada ao mercado de papéis usados na confecção de embalagens, o segmento de papéis de imprimir e escrever pode ser surpreendido com a demanda usualmente mais forte em anos eleitorais. Os fabricantes de papel cartão e papéis para embalagens iniciam o novo ano em meio a projetos de ampliação de capacidade. Mas a pressão sobre os preços deve continuar até que as novas linhas de produção entrem em operação, assim como já ocorreu no segundo semestre de 2013, quando reajustes na casa dos dois dígitos foram anunciados. No mercado de papéis de imprimir e escrever, reajustes também foram anunciados, mas a explicação dos aumentos tem pouca relação com a demanda. O movimento reflete, na verdade, o ambiente menos favorável ao papel importado, fruto da desvalorização do real ante o dólar e das medidas de controle ao produto fabricado no exterior. Com o preço internacional mais elevado, fabricantes locais aproveitaram para recompor parcialmente as margens corroídas nos últimos anos.

Notícias Semelhantes