Morre Alfried Plöger, ex-presidente da ABIGRAF

Plöger era economista, tinha 80 anos de idade e foi presidente do Conselho de Administração da Companhia Melhoramentos.

Alfried Plöger nasceu em Stettin, na Alemanha e mudou-se para o Brasil em 1948. Fez carreira na Companhia Melhoramentos e naturalizou-se brasileiro em 1980. Tinha três grandes paixões, o mercado de ações, a Companhia Melhoramentos – onde foi assistente de diretoria, diretor e presidente do Conselho Administrativo – e o Palmeiras, seu clube de coração.
Na ABIGRAF, Plöger teve atuação destacada. Foi presidente da ABIGRAF – SP duas vezes, nas gestões 2001/2004 e 2004/2007 e da ABIGRAF Nacional na gestão 2004/2007. “Quem conviveu com Plöger não o esquece. Ele tinha uma personalidade marcante, era sério e absolutamente focado, um grande gestor, sem dúvida alguma”, afirmou Sidney Anversa Victor, presidente da ABIGRAF – SP. Levi Ceregato, presidente da ABIGRAF Nacional, lembra bem do tempo que passou com Plöger. “Ele era uma pessoa muito firme, mas de grande coração. Era metódico, dinâmico, mas sabia ser um grande motivador. Trazia com ele um espirito de empreendedorismo e foi um exemplo de como conduzir uma entidade representativa como a nossa”. 

O dinamismo de Alfried Plöger era invejável. Além de ser presidente da Associação Brasileira das Companhias Abertas (ABRASCA) era também conselheiro de administração da Companhia Melhoramentos e atuava em entidades como o Comitê de Pronunciamentos Contábeis, Associação Comercial de São Paulo e FIESP. Ao jornal Folha de S. Paulo, Alfredo Weiszflog, um dos donos da Melhoramentos, afirmou “Ele era uma pessoa muito cheia de vida, de opiniões, que gostava de entrar nos detalhes das questões".

Alfried Plöger gostava de se envolver em tudo aquilo que estava diretamente ligado à sua vida no Brasil. Foi conselheiro da Bovespa, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, curador da Fundação Visconde de Porto Seguro, irmão remido da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e conselheiro curador do ITACI (Instituto de Tratamento do Câncer Infantil).
Foi condecorado em 2002 com a Ordem do Mérito 1ª Classe, da República Federal da Alemanha, recebeu o título de “Cidadão Paulistano” em 2008, e os prêmios “Líder Empresarial do Setor de Papel e Celulose”, da Gazeta Mercantil em 2003, “Líder Gráfico da América 1996”, pela Conlatingraf (Confederação Latino-Americana da Indústria Gráfica) e pela PAF (Printing Association of Florida), “Empresário do Ano” em 1995 e 1997, da Associação Comercial de São Paulo, “Comunicador Gráfico do Ano 1995” da Regional São Paulo da ABIGRAF (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) e recebeu das mãos do governador Geraldo Alckmin o “Colar Visconde de Porto Seguro”, em 2015. 

Alfried Plöger tinha problemas cardíacos e respiratórios e morreu em decorrência de complicações causadas pelo Coronavírus. O enterro ocorreu na segunda-feira (13) em uma cerimônia restrita aos familiares, no cemitério do Redentor, na zona oeste de São Paulo. Plöger deixa a esposa, Claudia, e quatro filhos.

Notícias Semelhantes

O que esperamos do novo governo