Indústria gráfica fecha terceiro trimestre com queda de 5,4% e revê as projeções para o ano

A produção da indústria gráfica no terceiro trimestre de 2013 encolheu 5,4% em relação ao trimestre anterior. Em relação ao terceiro trimestre de 2012, o setor acumula queda de 9,3. Com base nesses números, apurados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) reviu a projeção dos resultados do setor para o ano. “Até o momento, esperávamos encolhimento da ordem de 2,4%. A projeção atual é de variação de -5,6% em comparação com o exercício anterior”, pondera Fabio Arruda Mortara, presidente da entidade.

O segmento de produtos gráficos editoriais protagoniza a queda, com desempenho 10,7% menor do que no trimestre anterior, o que leva a -16,2% se compararmos ao terceiro trimestre de 2012 . O segmento de impressos comerciais, por sua vez, apresenta recuperação de 4,6% em relação ao segundo trimestre. Finalmente, o segmento de embalagens impressas apresenta crescimento de 0,6% no terceiro trimestre em relação ao segundo.

O ajuste da taxa de câmbio é uma das possíveis causas para o desempenho modesto do setor no trimestre, já que a indústria gráfica é bastante dependente de insumos importados. O Índice de Custo de Fabricação de Produtos Gráficos, calculado pela Abigraf, aponta crescimento intenso desde julho, atingindo 5,4% de alta no acumulado anual até outubro. Os segmentos de embalagens e de formulários são os mais penalizados por essa alta. Por outro lado, o ajuste de câmbio pode surpreender favoravelmente os segmentos gráficos exportadores. Para 2014, a projeção para o setor gráfico ainda é de queda, embora em ritmo mais suave, da ordem de -1,7%.

Notícias Semelhantes

Congresso Internacional de Celulose e Papel discutirá os novos caminhos da indústria