Retração no varejo de livros em novembro

A Nielsen divulgou, nesta quinta-feira (26), os dados do Painel das Vendas de Livros no Brasil referente ao período 11 (06/10 a 02/11). O Painel – fruto da parceria com o instituto de pesquisa com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) -- mostra que o faturamento se manteve estável em comparação ao mesmo intervalo de tempo do ano passado, mas aponta queda de 3,7% no número de livros vendidos. No período 11 de 2014, foram vendidos 2.934.173 exemplares o que redundou em um faturamento de R$ 98.577.006,74. No mesmo período de 2015, foram vendidos 109.427 exemplares a menos, mas o faturamento se manteve em R$ 98.551.154,80, praticamente inalterado. Para alcançar o resultado, as livrarias e supermercados que vendem livros no Brasil aumentaram o preço médio do livro de R$ 33,60 para R$ 34,89 e o desconto médio ao consumidor final caiu 2,99 pontos percentuais.

No acumulado do ano, no entanto, houve um crescimento de 5,01% no faturamento, em comparação ao mesmo período do ano passado. Nas 44 primeiras semanas de 2015, o varejo de livros no Brasil bateu agora R$ 1,244 bilhão versus R$ 1,185 bilhão no mesmo período do ano passado. Houve crescimento no volume de vendas também, que saltou de 32.190.322 em 2014 para 33.661.925 em 2015. Uma performance abaixo da inflação, mas acima dos dados do varejo em geral. Última Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE aponta queda de 3,3% no volume de vendas do comércio varejista no Brasil nos nove primeiros meses do ano.

“Se o mercado quiser fechar faturamento de 2015 em linha com o PIB projetado (queda de 3,5%), ele terá que performar 15% melhor no restante do ano em relação a 2014. A Black Friday, famosa pela liquidação de produtos, tradicionalmente contribui com volume, mas não com valor, o que aumenta a conta para o Natal”, conjectura Ismael Borges, executivo responsável da Nielsen Bookscan para o Brasil.

O relatório mostra que os editores têm produzido mais títulos em 2015. Nas 44 primeiras semanas do ano, foram lançados 239.708 ISBNs contra 222.107 no mesmo período do ano passado. Em relação aos gêneros, o Painel aponta um crescimento expressivo de 11,1% na importância do Não Ficção Trade. Títulos de lazer, estilo de vida, culinária e gastronomia colaboraram com essa desempenho. Clique aqui para ter acesso à íntegra do Painel das Vendas de Livros no Brasil.

Notícias Semelhantes

Reportagem da revista Superinteressante destaca a preferência por livros de papel

Cosac Naify encerra atividades

Varejo de livros mantém recuperação iniciada em setembro