16 de novembro de 2021

Investimento que faz diferença!

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do eucalipto, divulga os detalhes da fábrica de celulose que será construída no município de Ribas do Rio Pardo, no estado do Mato Grosso do Sul. O projeto demandará investimento total de R$ 19,3 bilhões e é considerado o mais eficiente da companhia em função do baixo nível de emissão de carbono previsto após o início de operação. A nova fábrica também será a mais competitiva da Suzano em termos de custo caixa de produção de celulose, condição favorecida pelo menor raio médio das florestas que abastecerão a unidade e pelo volume de energia excedente.

O investimento industrial somará R$ 14,7 bilhões, conforme divulgado em maio passado. Outros R$ 4,6 bilhões serão investidos nas atividades florestais, na estrutura logística e em outras iniciativas previstas em projetos dessa natureza. Chamado de Projeto Cerrado, o complexo será financiado com recursos já disponíveis no caixa da Suzano, entrará em operação no segundo semestre de 2024 e tem como um de seus diferenciais a gaseificação da biomassa para substituição de combustível fóssil nos fornos de cal.

Durante o pico de construção da unidade, devem ser gerados aproximadamente 10 mil empregos diretos, além de milhares de empregos indiretos. Depois de concluída a obra, a nova fábrica empregará cerca de 3 mil pessoas entre colaboradores próprios e terceiros. Parte dessas pessoas já está sendo capacitada na própria região.

Diversos outros projetos sociais e ambientais serão implementados durante o período de construção da fábrica. Após o início das operações, além da geração de impostos para a região e contribuição na balança comercial brasileira, um importante diferencial da unidade será a geração de energia. A fábrica produzirá energia a partir de fonte renovável e, após consumo na própria unidade, ainda terá um volume excedente de aproximadamente 180 MW médios. Essa energia é suficiente para abastecer uma cidade com 2,3 milhões de habitantes durante um mês.

Para viabilizar a construção da unidade, a Suzano contará com a parceria de empresas como Andritz, Veolia, Suez, Siemens, Hitachi Energy e Weg, entre outras. A nova unidade da empresa terá o menor custo caixa estrutural de produção de celulose dentre todas as fábricas da Suzano, estimado em menos de R$ 400 por tonelada. Inicialmente, a fábrica iniciará operação com custo caixa inferior a R$ 500 por tonelada.

Outro importante diferencial do projeto é o baixo raio médio florestal estrutural, de apenas 65 quilômetros. O indicador representa menos da metade do atual raio médio estrutural da Suzano, de 156 quilômetros.

A Suzano é referência global no desenvolvimento de soluções sustentáveis e inovadoras, de origem renovável, e tem como propósito renovar a vida a partir da árvore. Para mais informações, acesse: www.suzano.com.br

Noticias Relacionadas

16 de janeiro de 2023

Posse da nova diretoria Abigraf-SP

A Abigraf-SP realizou em 8 de dezembro de 2022 a cerimônia de posse das Diretorias Executiva e Seccionais e do Conselho Fiscal, eleitas para o triênio 2022-2025.

Leia mais
16 de janeiro de 2023

Reunião de encerramento do COPAGREM

A Abigraf Nacional, Abigraf-SP e o Sindigraf-SP estiveram presentes na última Reunião Plenária do COPAGREM de 2022, presidida pelo Dr. Levi Ceregato, a reunião aconteceu, no dia 8 de dezembro, na sede da FIESP.

Leia mais
16 de janeiro de 2023

Jornada de Transformação Digital

A Jornada de Transformação Digital é um programa criado pela FIESP, pelo CIESP, SENAI-SP e Sebrae-SP com capacidade para contemplar 40 mil micro, pequenas e médias indústrias.

Leia mais