15 de agosto de 2016

Painel Cartão Material Escolar

Principal bandeira das entidades que representam os diferentes segmentos da cadeia de produtos para papelaria, o Cartão Material Escolar foi tema de um painel no segundo dia da Escolar. O sistema substitui a atual distribuição de material escolar para alunos do ensino público por um crédito que pode ser usado por esses alunos para comprarem seus próprios materiais em papelarias credenciadas.

O Brasil possui hoje mais de 38 milhões de crianças matriculadas na rede pública de ensino que, por meio do Cartão Material Escolar, se converteriam em consumidores das papelarias.

Já implantado no Distrito Federal, Maranhão e cidades de São Paulo e Minas Gerais, o cartão atinge hoje apenas 2 milhões de alunos, segundo Ricardo Carrijo, diretor da ABIGRAF e ABFIAE. De acordo com o executivo, se o sistema fosse adotado pelo Estado de São Paulo – o piloto previsto para o início deste ano foi adiado – mais 4 milhões de crianças e jovens seriam beneficiadas.

Giovani Guerra, diretor de Produtos da Federação das Associações Comercial do Estado de São Paulo – FACESP, comentou sobre a plataforma tecnológica desenvolvida pela entidade que facilita a implantação do cartão nos municípios. Além de prática e segura, oferece um custo menor, pois se trata de uma solução pronta e testada.

A FACESP tem sido a principal parceira das associações comerciais locais na negociação com o poder público para levar o Cartão Material Escolar a um número maior de regiões. De acordo com Guerra, o primeiro passo que uma papelaria interessada deve dar é justamente procurar a associação comercial do seu município.

Um dos que já vem concedendo o crédito para os alunos comprarem seu material é o município de Agudos, no interior de São Paulo. Vinícius Carvalho, presidente da associação comercial da cidade, relatou o passo a passo da implantação do sistema que atingiu os 3 mil alunos da rede municipal. O fomento da economia local, segundo ele, foi visível: em três anos, as duas papelarias da cidade viraram oito.

Nair Assad, secretário de Educação do município paulista de Capivari, também contou como se deu a aplicação do Cartão Material Escolar na cidade, que beneficiou 7.300 alunos e as 11 papelarias instaladas.

O último e mais complexo “case” foi apresentado por Ana Gabriela Borges, secretaria adjunta de Renda e Cidadania do Maranhão. O Estado implantou o Cartão Material Escolar nos 217 municípios, que somam mais de 1 milhão de alunos da rede pública beneficiados. Ana falou da opção do governador Flavio Dino em vincular o Bolsa Escolar às famílias atendidas pelo Bolsa Família, o que demandou o envolvimento do Banco do Brasil, e exigiu um enorme esforço de logística, com participação dos Correios e empresas licitadas.

Fonte: Primeira Página

Noticias Relacionadas

27 de outubro de 2022

“O livro que nos une” – o encontro reúne editores, livreiros, distribuidores e gráficos conta com apoio do Sindigraf-sp e Abigraf-SP

O encontro realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL),  começou ontem (26), e reúne os mais importantes editores, livreiros, distribuidores e gráficos do país. A Abigraf-SP e o Sindigraf-SP são patrocinadores do evento.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Analista do mercado reduzem estimativa de inflação em 2022

Os economistas do mercado financeiro reduziram de 5,71% para 5,62% a estimativa de inflação para este ano. Esta foi a 16ª queda seguida da estimativa para a inflação de 2022.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Simples Nacional notifica empresas

Desde o dia 13 de setembro, o Comitê-Gestor do Simples Nacional encaminhou para as microempresas e empresas de pequeno porte notificações com relatório de pendências dos contribuintes junto à Receita Federal e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (débitos inscritos em dívida ativa) e com o Termo de Exclusão do Simples Nacional em caso de não regularização.

Leia mais