30 de junho de 2022

Pela 2ª vez, Receita Federal prorroga validade de registro de papel imune

A Instrução Normativa (IN) nº 2.085, publicada pela Receita Federal do Brasil (RFB) no Diário Oficial da União, em 02 de junho, prorrogou os prazos de concessão e validade dos Registros Especiais de Controle de Papel Imune (Regpi). Com isso, os registros concedidos na data de 24 de julho de 2018 até julho de 2022 têm validade “de 5 (cinco) anos, contados da data de publicação do Ato Declaratório Executivo (ADE) que formalizou a concessão”.
São obrigadas a possuir registro válido todas as pessoas jurídicas – fabricantes, distribuidores, importadores, empresas jornalísticas ou editoras (usuários) e gráficas – que operam com o papel destinado à impressão de livros, jornais e periódicos, com a imunidade prevista na Constituição Federal (“d” VI art.150), como estabelece a Lei nº 11.945/2009. Com a norma mais recente, a Instrução nº 1.817 (de 20 de julho de 2018) passa pela segunda revisão de prazos para renovação do documento. Pela redação original, o registro era válido por três anos e as empresas deveriam solicitar a renovação até 60 dias antes do
vencimento, atendendo as exigências adicionais estabelecidas pela IN.

Noticias Relacionadas

27 de outubro de 2022

“O livro que nos une” – o encontro reúne editores, livreiros, distribuidores e gráficos conta com apoio do Sindigraf-sp e Abigraf-SP

O encontro realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL),  começou ontem (26), e reúne os mais importantes editores, livreiros, distribuidores e gráficos do país. A Abigraf-SP e o Sindigraf-SP são patrocinadores do evento.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Analista do mercado reduzem estimativa de inflação em 2022

Os economistas do mercado financeiro reduziram de 5,71% para 5,62% a estimativa de inflação para este ano. Esta foi a 16ª queda seguida da estimativa para a inflação de 2022.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Simples Nacional notifica empresas

Desde o dia 13 de setembro, o Comitê-Gestor do Simples Nacional encaminhou para as microempresas e empresas de pequeno porte notificações com relatório de pendências dos contribuintes junto à Receita Federal e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (débitos inscritos em dívida ativa) e com o Termo de Exclusão do Simples Nacional em caso de não regularização.

Leia mais