30 de junho de 2016

Summit da Seccional de Ribeirão Preto discute os caminhos da comunicação impressa

O Summit de Comunicação da ABIGRAF Seccional de Ribeirão Preto aconteceu no dia 30 de junho, na Escola SENAI Eng. Octávio Marcondes Ferraz. Vários expoentes da propaganda e da mídia da região debateram as tendências e os novos rumos da comunicação impressa.

O publicitário Fernando Italo Delarcina, supervisor de mídia da NW3 Comunicação e professor de Publicidade e Propaganda da Universidade Estácio de Sá de Ribeirão Preto, falou sobre a credibilidade da mídia impressa.

O consultor político, Gustavo Castro, abordou a impressão gráfica no marketing político. Ele é membro da Associação Brasileira de Consultores Políticos (ABCOP) e é sócio-diretor de Novos Negócios da agência Versão BR.

Já o sócio da agência de bolso, Igor Quintella, tratou do tema Impressos relevantes e as novas ferramentas interativas. O publicitário já passou por agências como a DM9DDB e atualmente é coordenador de Comunicação e Design do Guia Gula Restaurante e professor de direção de arte e criação publicitária da ESPM-RJ.

Noticias Relacionadas

27 de outubro de 2022

“O livro que nos une” – o encontro reúne editores, livreiros, distribuidores e gráficos conta com apoio do Sindigraf-sp e Abigraf-SP

O encontro realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL),  começou ontem (26), e reúne os mais importantes editores, livreiros, distribuidores e gráficos do país. A Abigraf-SP e o Sindigraf-SP são patrocinadores do evento.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Analista do mercado reduzem estimativa de inflação em 2022

Os economistas do mercado financeiro reduziram de 5,71% para 5,62% a estimativa de inflação para este ano. Esta foi a 16ª queda seguida da estimativa para a inflação de 2022.

Leia mais
27 de outubro de 2022

Simples Nacional notifica empresas

Desde o dia 13 de setembro, o Comitê-Gestor do Simples Nacional encaminhou para as microempresas e empresas de pequeno porte notificações com relatório de pendências dos contribuintes junto à Receita Federal e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (débitos inscritos em dívida ativa) e com o Termo de Exclusão do Simples Nacional em caso de não regularização.

Leia mais